Quem é a artesã brasileira?

Pesquisa aponta que o artesanato brasileiro é feminino, tem curso superior e ganha menos de um salário mínimo por mês.

Você já parou para se perguntar quais as características da artesã brasileira? Seja em relação à faixa etária, escolaridade ou qual artesanato produz, o perfil da artesã ainda acaba sendo incerto no nosso imaginário.

Pensando nisso, realizamos uma pesquisa em 2021 com mais de 500 artesãs de todo o país para descobrir quem é (de onde vêm, o que fazem, aonde vivem? Hoje no Fantástico!) e como sobrevive esta artesã brasileira.

Essa pesquisa foi o ponto de partida para a criação de um ebook com os principais resultados e é a partir deles que propomos uma análise sobre o perfil da artesã.

Quem são elas? Vamos conferir os dados!

capa perfil da artesa ebook briselier

1. Principais características da artesã brasileira

Um dos primeiros pontos que constatamos é que sim, o artesanato é feminino. Em um censo do IBGE, em 2007, constatou-se que 87% do artesanato brasileiro é proveniente de mãos femininas. Já a nossa pesquisa, realizada com artesãs que possuem Instagram, mostra que, no ano de 2021, as mulheres são mais de 98% do total.

Por esse motivo, o artesanato é um dos principais símbolos do empreendedorismo feminino e da independência financeira de mulheres, você pode conferir mais sobre esse assunto nesta outra publicação do nosso blog.

Mais da metade das artesãs que responderam a pesquisa têm curso superior – sendo 42,6% graduadas e 20,01% pós-graduadas. Bem como, além do artesanato, recebem suas remunerações trabalhando também como autônomas (36,2%) ou por regime CLT (34,3%).

Do mesmo modo, quando questionadas sobre maternidade, 59,1% das entrevistadas afirmaram ser mães. Isso se justifica pelo fato de que, durante muitos anos, o artesanato foi uma atividade reservada às mulheres e vinculado ao trabalho doméstico. 

Além disso, muito se engana quem diz que artesanato é uma técnica exclusiva da vovó. De acordo com dados do Data Sebrae, a idade média das artesãs costuma variar entre 40 a 64 anos. Entretanto, os dados da nossa pesquisa apontam que uma porcentagem de artesãs cada vez mais jovens têm surgido nas plataformas online e refletindo uma nova realidade: 43.9% das artesãs possuem entre 30 a 40 anos de idade.

2. Tipo de artesanato produzido pela artesã brasileira

Depois de entendermos quais as principais características das artesãs, buscamos analisar quais os tipos de artesanato que elas produzem. Nesse sentido, o crochê foi a técnica mais popular, sendo seguido por macramê, tricô e costura.

Apesar do artesanato ser uma arte milenar, muitas vezes passada de geração em geração, é inegável a influência da tecnologia na vida das artesãs. Mais da metade das artesãs (50,5%) responderam que aprenderam técnicas artesanais através da internet e livros, enquanto apenas 24,3% aprenderam por tradição familiar. Surpreendente não? Este é um reflexo claro de que a desvalorização do trabalho manual faz com que bens culturais ou patrimônios imateriais tendam sim a desaparecer com o passar das gerações.

Em relação a isso, já comentamos sobre as vantagens de usar a internet para produzir artesanato. Assim, as plataformas digitais também tem sido o local de venda mais proveitoso para as artesãs, tendo como carro chefe as redes sociais (80,6%). 

Perceber as vantagens desse local de venda essencialmente virtual é relevante para as artesãs, já que o artesanato é uma importante fonte de renda para milhares de mulheres brasileiras.

Em nossa pesquisa, 52% das artesãs afirmam que a venda dos seus produtos é importante para o sustento de sua família. Apesar disso, essa mesma porcentagem de artesãs afirmam não trabalhar apenas com artesanato, como já explicamos no tópico acima. 

Assim, diante da desvalorização da sociedade com as técnicas artesanais, é fácil entender o porquê das artesãs exercerem uma ou mais outras atividades remuneradas além do artesanato.

3. A desvalorização do artesanato e das artesãs brasileiras

Apesar da quantidade majoritária das artesãs não conseguirem se sustentar totalmente com a venda de seus produtos artesanais, 94% gostariam que isso acontecesse. Assim, não precisariam ter uma dupla ou tripla jornada de trabalho – ela é mãe, trabalha fora, cuida da casa e ainda é artesã – CHAMA O SAMU! =)

A pesquisa revelou também que 80% das artesãs recebem uma a renda mensal média de 0 a 1000 reais pela venda de seu artesanato. Para termos dados comparativos, em 2021, o salário mínimo brasileiro é de 1.212 reais por mês.

Infelizmente, essa realidade se mostra por conta do fato do artesanato ser desvalorizado pela sociedade. Já escrevemos aqui os 3 motivos históricos que contribuíram para isso acontecer. Nesse sentido, quando pedimos para as artesãs responderem, de 0 a 10, o quanto elas acham que a sociedade valoriza o produto artesanal, a resposta majoritária ficou entre 5 e 6.

Diante disso, montamos algumas dicas de como você pode ajudar a valorizar o trabalho artesanal, basta clicar aqui. Afinal, não basta só a artesã entender o seu valor, esta é uma ação conjunta que exige um trabalho em equipe com a sociedade, que também precisa aprender a valorizar o produto feito à mão.

Por fim, há outros fatores que podem impedir essa valorização, seja por parte da artesãs ou por parte da sociedade. A dificuldade de venda por falta de estratégias em redes sociais e marketing (51,2%) e a falta de entendimento em como calcular o preço do seu artesanato (30,9%). 

Em relação a isso, temos alguns atalhos que podem facilitar o trabalho da artesã. Nossas dicas de estratégias de marketing para o seu atelier, outras dicas para ajudar você a precificar seu artesanato e a nossa calculadora que te ajuda a saber o quanto ganha por hora de trabalho.

dia do empreendedorismo feminino e sua influencia na independencia financeira

4. Bônus da curiosidade

Por fim, a Briselier não poderia deixar de trazer um toque de astrologia para a nossa pesquisa. Constatamos que as Virginianas (perfeita, nunca errou) dominam o artesanato com 10,8%, seguidas pelas Leoninas (ela gosta de uma vitrine) com 9,9% e incrivelmente (sim, nós também ficamos surpresas com tamanha paciência), temos as Arianas em terceiro lugar com 9,4%.


Em síntese, esses foram os principais resultados da pesquisa que realizamos com as artesãs que nos acompanham pelo Instagram. Para conferir a pesquisa completa, basta CLICAR AQUI PARA BAIXAR o e-book com toda a pesquisa para obter todos os dados gratuitamente.

Não deixe de conferir também nossos outros ebooks: o Crochê sem Mistérios – para quem quer aprender a fazer crochê do zero com a mesma técnica e carinho da vovó – e o Decorando Casamento com Filtro dos Sonhos – com dicas e inspirações para decorar seu casamento com filtros dos sonhos sem cometer erros.

Por fim, para continuar apoiando esse tipo de conteúdo, siga-nos nas principais redes sociais para continuar acompanhando conteúdos sobre artesanato, principalmente crochê e filtros dos sonhos. Estamos no Instagram, Pinterest e Youtube.

Um brisebeijo! 😘

Deixe um comentário

*